Lançamento do livro “A fabulosa galinha de Angola” de Luísa Fresta na UCCLA

Uma fábula que incorpora temas como a exclusão, a poligamia, a ostentação, o racismo, a extinção das espécies e a ecologia, são os ingredientes do livro infanto-juvenil “A fabulosa galinha de Angola” que a escritora Luísa Fresta irá lançar no dia 22 de fevereiro, às 17h30, no auditório da UCCLA.

“A fabulosa galinha de Angola” tem a chancela da Editorial Novembro e será apresentado por Regina Correia. O momento musical ficará a cargo de Paula Lourenço Santana.

Sinopse:

Um congresso de pássaros de África em Angola é o pretexto para falar de temas como a exclusão, a poligamia, a ostentação, o racismo e a extinção das espécies. Aqui a ecologia volta a ser tema de debate mas são os pássaros, e não os homens, que buscarão soluções para um estilo de vida que caminha para o abismo. Contado como uma fábula, voltamos a recorrer à personificação, ao humor e à poesia, para fazer passar a mensagem de uma forma lúdica.

Biografia da autora:

Luísa Fresta, portuguesa e angolana, viveu a maior parte da sua juventude em Angola, país com o qual mantém laços familiares e culturais. Reside em Portugal desde 1993. 

Publicou em 2012/13 uma série de crónicas sobre as décadas de 70/80 da vida em Luanda, através do Jornal Cultura – Jornal Angolano de Artes e Letras com o qual colaborou regularmente até 2015 e publicou também pontualmente em diversas revistas on-line (a moçambicana Literatas e as brasileiras Samizdat e Subversa). Escreve regularmente desde 2013 no portal O Gazzeta, coordenado por Germano Xavier e desde 2014 publica prosa e poesia no portal Entrementes – Revista Digital de Cultura. Desde 2016 escreve também no jornal digital Artes&Contextos.

Sobre cinema (essencialmente lusófono e africano francófono) mantém participações episódicas através de artigos de opinião no site de crítica de cinema Africiné, portal BUALA, revista Awotele, e manteve, até 2015, duas colunas na revista METROPOLIS intituladas: A 7.ª arte em África e Filmes da lusofonia. Em 2016 integrou o júri do comité de pré-seleção da representação pan-africana do Festival l’Arbre d’Or (filmes documentários- Gorée/ Senegal).

Prémios e principais antologias:

1998- Portugal: concurso de contos curtos “Expo 98 palavras” (texto Crime, publicado juntamente com cerca de outros 100);

2013- Brasil: 2.º lugar no 9.º concurso online – II Prémio Licinho Campos de Poesias de Amor (poema Soneto do Amor no Feminino); 2º prémio no 1º Concurso Internacional de Literatura de Alacib, (na categoria crónica, com Outros Campeonatos);

2014- Brasil: o poema Talvez foi considerado um dos melhores 50 apresentados a concurso e incluído numa coletânea publicada pela Academia Jacarehyense de Letras, promotora do 8º Festival Internacional de Sonetos;

2015- Brasil: crónica Luanda, aliás «São Paulo da Assunção de Loanda» incluída numa coletânea editada pela Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande-SP;

2016- Portugal: integrou, juntamente com sete outros autores, uma antologia solidária dedicada ao tema da saúde mental, intitulada “Mens Sana” (com o conto O papel de Aurélie), editada pela Livros de Ontem;

2018- Brasil: 1.º prémio de crónica internacional no 2.º Varal Literário da Câmara Municipal de Divinópolis com o texto Eu quero a panela grande;

2019- Angola: participou numa antologia em homenagem ao poeta João Tala intitulada “Nós e a Poesia” editada pelas Edições Handyman; Portugal: integrou uma antologia poética intitulada “Templo de Palavras”, com o selo da Editorial Minerva e coordenação literária a cargo do poeta e escritor Delmar Maia Gonçalves; Brasil: 1.º prémio de crónica internacional no 3.º Varal Literário da Câmara Municipal de Divinópolis com o texto Os caminhos ínvios da escrita; Cabo Verde: participou na antologia solidária “Mulheres e Seus Destinos”, organizada por Yara dos Santos e Lena Marçal.

Obras da autora:

49 Passos/ Entre os Limites e o Infinito (poesia), Chiado Editora, 2014

Contexturas (contos, baseados em quadros de Armanda Alves, co-autora), Livros de Ontem, 2017

Março entre meridianos (poesia, 1.º prémio “Um Bouquet de Rosas para Ti”), MAAN, 2018

Março entre meridianos (reedição), Livros de Ontem, 2019

Morada:

Casa das Galeotas

Avenida da Índia, n.º 110 (entre a Cordoaria Nacional e o Museu Nacional dos Coches), em Lisboa

Autocarros: 714, 727 e 751 – Altinho, e 728 e 729 – Belém

Comboio: Estação de Belém

Elétrico: 15E – Altinho 

Coordenadas GPS: 38°41’46.9″N 9°11’52.4″W

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*