Contacto -: +239  9923140 -jornaltropical05@hotmail.com

 

 

 

 

Fim do mandato para Hélder Muteia após seis anos como Coordenador do Escritório Sub-Regional da FAO para a África Central, Representante no Gabão e São Tomé e Príncipe e para a ECCAS

©FAO

 Durante um almoço de imprensa com jornalistas da mídia nacional e internacional, o Coordenador do Escritório Sub-Regional da FAO para a África Central, Representante no Gabão e São Tomé e Príncipe e na ECCAS, Hélder Muteia anunciou o fim de sua missão à sub-região.

Esta reunião foi uma oportunidade para Hélder Muteia, não apenas para olhar para trás nos seis anos de seu mandato, dando uma breve visão geral do que o Escritório Sub-Regional da FAO para a África Central tem sido capaz de alcançar durante esse período, mas também para "agradecer aos homens e mulheres da mídia por sua habitual e constante colaboração na popularização da visão, Missões e atividades da FAO".

"Graças a você e ao apoio dos diversos parceiros, nosso portfólio dobrou nos últimos quatro anos, com um compromisso total de cerca de US$ 304 milhões (CFAF 202 bilhões). Além desse financiamento direto na forma de projetos de cooperação técnica em diversas áreas, como a pecuária e a saúde animal, florestas – Meio ambiente e mudanças climáticas, nutrição, pesca e aquicultura, produção e proteção vegetal, resiliência e gestão sustentável da terra e da água, políticas, a FAO também tem prestado expertise na forma de estudos e apoio consultivo em questões transversais e estratégicas", disse ele.

Ele também mencionou algumas conquistas sub-regionais e nacionais, incluindo: O estabelecimento da rede de Alianças Parlamentares Centro-Africanas para Segurança Alimentar e Nutricional, mas também a operacionalização da abordagem "Uma Saúde" em parceria com a ECCAS; A promoção da agricultura e sistemas alimentares sensíveis à nutrição nas escolas através do estabelecimento de salas de aula verdes em Camarões, Congo e Gabão; Apoio aos Estados membros do ECCAS para a formulação da Política Agrícola Comum e do Programa Regional de Investimento Agrícola, Segurança Alimentar e Nutricional (PRIASAN); A estruturação de organizações e atores do mundo rural gabonês, como a Federação Nacional dos Processadores de Produtos Agrícolas (FENATAG) e a Cooperativa de Criadores do Estuário, Ngounié Nyanga e Woleu-Ntem, cujas produções são visíveis nos supermercados; Apoio à realização da conferência sobre a revitalização do setor agropecuário e o Censo Geral da Agricultura no Gabão; A Estratégia Nacional de Transição para a Economia Azul e a determinação das características dos solos agrícolas em São Tomé e Príncipe foram adotadas, e a primeira foi formulada na forma de lei.

Para Hélder Muteia, "essas poucas conquistas são resultado da mobilização de todas as partes interessadas com quem a FAO colabora para uma transformação dos sistemas agroalimentares para torná-los mais eficientes, inclusivos, resilientes e sustentáveis". Por fim, agradeceu aos parceiros nacionais e sub-regionais pelo apoio "esta é uma oportunidade para eu agradecer e, acima de tudo, expressar minha profunda gratidão aos Governos dos países da sub-região e do Gabão, em particular pela confiança que têm na FAO e pela parceria que conseguimos desenvolver".

Como lembrete, desde dezembro de 2016, o coordenador da FAO do ESCRITÓRIO SUBREGIONAL para a África Central, representante da FAO no Gabão e São Tomé e Príncipe e na ECCAS começou sua carreira em 1982 como codiretor de projetos avícolas nas províncias de Gaza e Maputo, Moçambique. Em 1989 e 1990, Hélder Muteia trabalhou como chefe do Departamento Técnico em uma empresa pública de aves. Em 1994, tornou-se membro do Parlamento e presidente da Comissão Parlamentar de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Administração Pública.

Em 1997, foi nomeado Diretor Nacional do Centro de Treinamento para agricultura e desenvolvimento rural, e de 1998 a 2000 foi Vice-Ministro da Agricultura e Pesca de Moçambique. Em 2000, foi nomeado Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural. Cargo que ocupou até 2005, quando ingressou na FAO como representante da organização na Nigéria.

De 2010 a 2013, foi nomeado Representante da FAO no Brasil. De 2013 a novembro de 2016, foi Diretor sênior de Relações Exteriores do Escritório de Informação de Portugal e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) em Lisboa, Portugal. Muteia também é escritor e autor de várias publicações.