Contacto -: +239  9923140 -jornaltropical05@hotmail.com

 

 

 

Começou a campanha eleitoral em São Tomé e Príncipe

Arrancou, este sábado, a campanha para as eleições legislativas, autárquicas e regional de 25 de Setembro em São Tomé e Príncipe.

Em São Tomé e Príncipe, começou a contagem decrescente para as eleições legislativas, autárquicas e regional de 25 de Setembro.

Onze forças políticas concorrem as eleições deste ano cuja campanha eleitoral iniciou este sábado prolongando-se até 23 deste mês. Este é um início de campanha tímido, uma vez que os partidos ainda não dispõem de materiais em quantidades suficiente para a campanha.

Na ilha do Principe, concorrem para o parlamento regional apenas dois partidos: União para Mudança e Progresso do Príncipe  e o Movimento Verde para o Desenvolvimento do Príncipe.

Esta é a terceira vez na história da democracia santomense que se realiza a tripla eleição legislativas, autárquicas e regional. Para estas eleições estão inscritos nos cadernos eleitorais mais de 100.000 eleitores espalhados pelos círculos eleitorais do território nacional e da diáspora. O Presidente da Comissão Eleitoral Nacional, José Carlos Barreiro, apelou para  a observância de civismo e tolerância, apanágios da convivência democrática.

Na diáspora, pela primeira vez foram constituídos dois círculos: África e Europa. Cada um elegerá um deputado que vai ter a representação do parlamento nacional.

A União Europeia, terá pela primeira vez, a missão de observação mais robusta com um total de 45 membros dos 27 estados que integram esta organização incluindo a Noruega, estando prevista a presença de observadores de outras organizações e países, nomeadamente, CEEAC, CPLP e UA.

Dez partidos e uma coligação vão concorrer às legislativas: Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe / Partido Social Democrata (MLSTP/PSD), Acção Democrática Independente (ADI), Movimento Basta, Movimento Democrático Força da Mudança/União Liberal (MDFM/UL), União para a Democracia e Desenvolvimento (UDD), Cidadãos Independentes para o Desenvolvimento de São Tomé e Príncipe (CID-STP), Movimento Unido para o Desenvolvimento Amplo de São Tomé e Príncipe (Muda-STP), Partido Novo, Movimento Social Democrata/Partido Verde de São Tomé e Príncipe (MSD-PVSTP), Partido de Todos os Santomenses (PTOS) e a coligação Movimento de Cidadãos Independentes/Partido Socialista/Partido da Unidade Nacional (MCI/PS-PUN).

Nestas eleições legislativas, os são-tomenses vão eleger 55 deputados à Assembleia Nacional, incluindo dois que, pela primeira vez, serão eleitos pelos círculos eleitorais da Europa e de África.

RFI